quarta-feira, 13 de março de 2013

Março de 2013 - WILLIAM FAULKNER

 


 
O som e a fúria

El ruido y la furia

 

 
de

 
WILLIAM FAULKNER


 
William Faulkner (1897-1962)
 
É considerado um dos maiores escritores estadunidenses do século XX.
Recebeu o Nobel de Literatura de 1949.
Posteriormente, ganhou o National Book Awards em 1951, por Collected Stories e, em 1955, pelo romance Uma Fábula.
Foi vencedor de dois Prêmios Pulitzer, o primeiro em 1955 por Uma Fábula e o segundo em 1962 por Os Desgarrados.
Faulkner escreve sobre a decadência do sul dos Estados Unidos, interiorizando-a em seus personagens, a maioria deles vivendo situações desesperadoras no condado imaginário de
Yoknapatawpha (localizado no extremo norte do estado de Mississippi).

A obra faulkneriana é considerada hermética e desafiadora por muitas vezes descrever múltiplos pontos de vista e impor bruscas mudanças de tempo narrativo.

Estilisticamente, a literatura de Faulkner se caracteriza por uma escrita complexa, com longos parágrafos aninhando longos períodos com pontuação irregular, esparsa, senão inexistente, intercalados não raras vezes por parênteses e travessões que acolhem outros longos períodos.
Essa maneira de escrever, típica do chamado "fluxo de consciência" inaugurada por Proust e refinada por Joyce, Woolf e outros escritores identificados com o Modernismo, exige do leitor profunda cumplicidade e aguda capacidade de concentração.

Inspirado pela Comédia Humana de Balzac, Faulkner utilizou a técnica do retorno de personagens, que aparecem em épocas diferentes de suas vidas: o velho Bayard Sartoris, apresentado em Sartoris é o personagem/narrador das histórias de Os Invencidos (1938), em situações que remontam à sua infância; Quentin Compson suicida-se em O Som e a Fúria (1929) e reaparece em outro estágio de sua vida em Absalão! Absalão! (1936); e assim com inúmeros outros, ora como personagens principais, ora como coadjuvantes, em romances ou contos. Faulkner também utiliza a repetição de nomes para designar pessoas diferentes dentro da mesma família como os dois Bayard, avô e neto, de Sartoris e os dois Jason, pai e filho, de O Som e a Fúria; e há pelo menos um caso em que o mesmo nome é dado a pessoas de sexos diferentes: também em O Som e a Fúria, "Quentin" é tanto o nome do irmão quanto da filha de Caddy.






O Som e a Fúria é frequentemente considerado entre

os cem melhores livros de todos os tempos!
 
Bem-vindo William Faulkner ao Nosso Clube de Leitura!
 
 
 
 Parte do discurso de William Faulkner na entrega do
Prêmio Nobel de Literatura, 1949.
 
Fragmento do discurso:
"Nossa tragédia, hoje, é um geral e universal temor físico suportado há tanto tempo que podemos mesmo tocá-lo. Não há mais problemas do espírito. Há somente a questão: quando irão me explodir? Por causa disto, o jovem ou a jovem que hoje escreve tem esquecido os problemas do coração humano em conflito consigo mesmo, os quais por si só fazem a boa literatura, uma vez que apenas sobre isso vale a pena escrever, apenas isso vale a angústia e o sofrimento.
Ele, o jovem, deve aprendê-los novamente. Ele deve ensinar a si mesmo que o mais fundamental dentre todas as coisas é estar apreensivo; e, tendo ensinado isto a si mesmo, esquecê-lo para sempre, não deixando espaço em seu trabalho senão para as velhas verdades e truísmos do coração, as velhas verdades universais sem as quais qualquer estória torna-se efêmera e condenada — amor e honra e piedade e orgulho e compaixão e sacrifício. Antes que assim o faça, ele labora sob uma maldição. Ele escreve não sobre amor mas sobre luxúria, sobre derrotas em que ninguém perde nada de valor, sobre vitórias sem esperança e, o pior de tudo, sem piedade e compaixão. Sua atribulação não aflige ossos universais, não deixa cicatrizes. Ele escreve não a partir do coração mas das glândulas."


Fragmento del discurso:

"Nuestra tragedia actual es un temor general en todo el mundo, sufrido por tan largo tiempo que ya hemos aprendido a soportarlo. Ya no existen problemas del espíritu; sólo queda esta interrogante: ¿Cuándo estallaré? A causa de ella, el escritor o escritora joven de hoy ha olvidado los problemas... de los sentimientos contradictorios del corazón humano, que por sí solos pueden ser tema de buena literatura, ya que únicamente sobre ellos vale la pena de escribir y justifican la agonía y los afanes.
Ese escritor joven debe compenetrarse nuevamente de ellos. Aprender que la máxima debilidad es sentirse temeroso; y después de aprenderlo olvidar ese temor para siempre, no dejar lugar en su arsenal de escritor sino para las antiguas verdades y realidades del corazón, las eternas verdades universales sin las cuales toda historia es efímera y predestinada al fracaso: amor y honor, piedad y orgullo, compasión y sacrificio.
Mientras no lo haga así continuará trabajando bajo una maldición. No escribirá de amor sino de sensualidad, de derrotas en que nadie pierde nada de valor, de victorias sin esperanzas y, lo peor de todo, sin piedad ni compasión. Sus penas no serán penas universales y no dejarán huella. No escribirá acerca del corazón sino de las glándulas."

 
 

7 comentários:

  1. Fragmento del discurso que leyó William Faulkner en la entrega del Premio Nobel de Literatura, en 1949.
    "Nuestra tragedia actual es un temor general en todo el mundo, sufrido por tan largo tiempo que ya hemos aprendido a soportarlo. Ya no existen problemas del espíritu; sólo queda esta interrogante: ¿Cuándo estallaré? A causa de ella, el escritor o escritora joven de hoy ha olvidado los problemas de los sentimientos contradictorios del corazón humano, que por sí solos pueden ser tema de buena literatura, ya que únicamente sobre ellos vale la pena de escribir y justifican la agonía y los afanes.
    Ese escritor joven debe compenetrarse nuevamente de ellos. Aprender que la máxima debilidad es sentirse temeroso; y después de aprenderlo olvidar ese temor para siempre, no dejar lugar en su arsenal de escritor sino para las antiguas verdades y realidades del corazón, las eternas verdades universales sin las cuales toda historia es efímera y predestinada al fracaso: amor y honor, piedad y orgullo, compasión y sacrificio.
    Mientras no lo haga así continuará trabajando bajo una maldición. No escribirá de amor sino de sensualidad, de derrotas en que nadie pierde nada de valor, de victorias sin esperanzas y, lo peor de todo, sin piedad ni compasión. Sus penas no serán penas universales y no dejarán huella. No escribirá acerca del corazón sino de las glándulas."

    ResponderExcluir
  2. Ao clube de leitura, meus parabéns. Livros bem escolhidos, bem discutidos, não esquecidos. A cada leitura, uma surpresa especial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Faa! É uma alegria contar com você no nosso grupo!
      Bjs, Gaby

      Excluir
  3. Passando por aqui para lhes dar um abraço. Há algum tempo vocês também passaram pela nossa página. Gosto de ver que continuam se encontrando e que conseguem, assim como nós, superar as dificuldades de organização de um grupo de leitura.

    O Papa-livros completa 10 anos este mês. Estamos com 17 membros dos quais 4 são originais; 4 estão no grupo há 9 anos; e 3 há 8 anos; e assim por diante. O membro mais novo entrou em outubro de 2012. Espero que vocês também tenham uma longa vida.

    Um grande abraço,

    Ladyce

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ladyce!
      Tudo bem?
      Parabéns pelos 10 anos do Papa-Livros! Este ano nosso clube vai comemorar 5 anos de leituras ininterruptas!
      Temos uns 50 participantes a maioria são leitores brasileiros, mas há uma porcentagem importante de estrangeiros também.
      A literatura faz parte da minha vida e o clube de leitura me da muitas alegrias.
      Um abraço grande e sigamos em contato!
      Gabriela

      Excluir
  4. Procurando na internet por um clube de leitura encontrei o blog de vocês e gostei muito!!Parabéns pela iniciativa e sucesso.
    Abraços
    Eva Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Eva!
      Um abraço!

      Excluir

Escriba su comentario, haga Click en NOME/URL (Nombre), detalle su nombre y gaha Click en PUBLICAR COMENTARIO.
Para deixar um comentário, após escrevê-lo, escolha a identidade NOME/URL, escreva seu nome e clique em PUBLICAR COMENTÁRIO.